Lei para concessão de estradas não foi aprovada no primeiro ano de mandato de Sartori
Foto: Pedro Revillion/Palácio Piratini
PSDB - Eduardo Leite

Lei para concessão de estradas não foi aprovada no primeiro ano de mandato de Sartori

Segundo o candidato do PSDB, atual governador teria permissão legal para conceder estradas estaduais à iniciativa privada desde o primeiro ano de governo. No entanto, lei só entrou em vigor em 2016, no segundo ano de gestão

Gestão pública Infraestrutura

Bruno Moraes
2 minutos

“No primeiro ano de governo [de Sartori] foi aprovada uma lei para fazer concessões de estradas no RS”, Eduardo Leite (PSDB) em entrevista à TV Bandeirantes

Em entrevista ao telejornal BandCidade, em 8 de outubro, o candidato ao Palácio Piratini pelo PSDB, Eduardo Leite, repetiu uma informação que havia mencionado em sua primeira entrevista logo após ter sua presença confirmada no segundo turno: já em 2015, o governo do estado poderia conceder estradas gaúchas à iniciativa privada por meio de uma nova legislação.

O Truco nos Estados – projeto de checagem de fatos da Agência Pública, feito no RS em parceria com o Filtro Fact-checking – constatou que o projeto de lei referido pelo candidato sequer foi votado no primeiro ano de governo de Sartori.

De acordo com a assessoria, o tucano se referia ao projeto de lei 509, de 2015, que autorizava o Poder Executivo a conceder serviços de exploração de rodovias e infraestrutura de transporte terrestre. O PL 509/2015 foi colocado na ordem do dia da sessão extraordinária de 28 de dezembro (que se estendeu até o dia seguinte), mas foi retirado da pauta devido a um requerimento do deputado Alexandre Postal e outros colegas. A medida se baseou no artigo 173 do Regimento Interno da AL, que possibilita a retirada da pauta de projetos de lei que não tenham tramitado na Casa por, no mínimo, 30 dias – situação do PL 509, enviado à Assembleia Legislativa em 23 de dezembro de 2015. Com o requerimento aceito, o projeto sequer foi votado.

Em 29 de janeiro do ano seguinte, o PL 509/2015 foi devolvido ao Poder Executivo – que propôs o projeto. Como estava vinculado a uma sessão extraordinária da Assembleia, o projeto não poderia permanecer na Casa para apreciação em outra data.

Em 10 de maio de 2016, a Assembleia Legislativa aprovou um novo projeto de lei (47/2016), semelhante ao anterior, permitindo a concessão por 30 anos dos serviços de exploração de rodovias estaduais. Um mês depois, junho de 2016, a Lei 14.875 foi publicada no Diário Oficial do Estado – entrando, finalmente, em vigor. A nova legislação foi regulamentada em decreto de 28 de março de 2017.

Mesmo com a nova legislação, a gestão de Sartori ainda não firmou nenhuma concessão de rodovias ou infraestrutura de transporte terrestre à iniciativa privada.

Eduardo Leite acerta: plano de recuperação fiscal aumenta dívida do RS
Eduardo Leite - PSDB
Eduardo Leite acerta: plano de recuperação fiscal aumenta dívida do RS

Em debate na Federasul, tucano ressaltou que os R$ 11 bilhões que podem deixar de ser pagos à União por três anos terão de ser quitados no futuro, acrescidos de juros. Ainda assim, o ex-prefeito de Pelotas afirma ser favorável à medida

Acordo pode deixar R$ 11 bi no RS, mas valor será cobrado com juros
José Ivo Sartori - MDB
Acordo pode deixar R$ 11 bi no RS, mas valor será cobrado com juros

Em programa de TV, José Ivo Sartori (MDB) defende regime de recuperação fiscal para desafogar os cofres públicos, porém ignora que o valor é uma estimativa – e terá de ser pago com juros mais tarde

RS Boato
Bandeira LGBT não substituiu a do Brasil em escola de Pelotas, como diz corrente
Bandeira LGBT não substituiu a do Brasil em escola de Pelotas, como diz corrente

Texto compartilhado por WhatsApp e Facebook afirma que bandeira do Brasil foi substituída por símbolo LGBT. Hasteamento, de fato, ocorreu durante atividades de conscientização contra a homofobia, mas não houve uma troca de bandeiras

RS Candidatos - Rio Grande do Sul