MG Boato
Site contra ‘fake news’ mentiu: obras do hospital de Divinópolis não foram paralisadas por Anastasia

Site contra ‘fake news’ mentiu: obras do hospital de Divinópolis não foram paralisadas por Anastasia

Hospital, que deveria ter sido entregue em 2012, teve “ritmo lento” durante início do governo de Pimentel até ser paralisada

Obras do hospital de Divinópolis Crise econômica Gestão pública Saúde

Bruno Fonseca
2 minutos

“O hospital regional de Divinópolis […] [a obra] já estava parada na gestão do próprio Anastasia”, diz vídeo publicado no site “Anastasia Mente”.

Apesar do atraso nas obras — que começaram em junho de 2011 e inicialmente seriam concluídas em 2012 — a construção do Hospital de Divinópolis só foi paralisada no segundo ano do governo de Fernando Pimentel (PT), não no de Anastasia, como diz o vídeo.

Por isso, o Truco — projeto de checagens de fatos da Agência Pública — classificou a informação como falsa.

Como o Truco explica nessa outra checagem, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou que a obra foi paralisada apenas em 31 de outubro de 2016 e reforçou que não houve paralisação anterior: “Não consta nos relatórios de monitoramento paralisação da obra, no período de vigência do contrato com a empresa que executou serviços. O prazo do contrato expirou em 2016, quando a obra foi paralisada”, informou a secretaria.

A Prefeitura de Divinópolis alega que as obras foram interrompidas porque o estado não garantiu recursos para a conclusão da obra. Foram realizados dois convênios ao todo, gerando um valor total de R$ 79 milhões repassados pela SES-MG, mais cerca de R$ 46 mil em aplicações financeiras.

Do último convênio, cerca de R$ 16 milhões foram repassados para o município, que ainda não foram repassados para a construtora. O novo processo licitatório com outra construtora, feito em dezembro de 2016, foi cancelado pelo município em julho de 2017 que alegou falta de garantia de investimentos do Governo de Minas Gerais.

Sobre isso, a Secretaria de Saúde salienta o déficit financeiro no qual Minas Gerais se encontra. Informa que, apesar da crise, optou por investir R$ 38 milhões no Hospital João de Deus de Divinópolis – que já estava em funcionamento e corria riscos de fechamento – e que “está se esforçando para honrar os compromissos pactuados, manter suas ações e dar os melhores encaminhamentos possíveis, com a urgência que o tema requer.”

O Hospital tem previsão estimada de 120 leitos para atender 55 cidades mineiras e uma população de 1,2 milhão de habitantes.

Além de Divinópolis, outros nove municípios mineiros têm hospitais regionais sem previsão de entrega.

Produção de nióbio em Minas Gerais não é caixa-preta
Claudiney Dulim - AVANTE
Produção de nióbio em Minas Gerais não é caixa-preta

Candidato diz que nióbio é caixa-preta, mas Truco obteve os dados e explica como funciona e quanto gera a produção da substânca

Errado, Anastasia: Obras de hospital em Divinópolis seguiram até 2016
Antonio Anastasia - PSDB
Errado, Anastasia: Obras de hospital em Divinópolis seguiram até 2016

Construção foi interrompida após Prefeitura de Divinópolis alegar falta de repasse de verbas, durante o segundo mandato do atual governador Fernando Pimentel

MG Candidatos - Minas Gerais

Vice candidatos